quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

2010: não exista, viva!

“Já perdoei erros quase imperdoáveis, tentei substituir pessoas insubstituíveis e esquecer pessoas inesquecíveis.

Já fiz coisas por impulso.

Já me decepcionei com pessoas quando nunca pensei me decepcionar, mas também decepcionei alguém.

Já abracei para proteger.

Já dei risada quando não podia.

Já fiz amigos eternos.

Já amei e fui amado, mas também já fui rejeitado.

Já fui amado e não soube amar.

Já gritei e pulei de tanta felicidade.

Já vivi de amor e fiz juras eternas, mas me iludi inúmeras vezes.

Já chorei ouvindo música e vendo fotos.

Já liguei só pra escutar uma voz.

Já me apaixonei por um sorriso.

Já pensei que fosse morrer de tanta saudade.

Já tive medo de perder alguém especial e acabei perdendo. Mas sobrevivi.

E ainda vivo.

Não passo pela vida e você também não deveria passar. Viva!

Bom mesmo é ir à luta com determinação.

É abraçar a vida e viver com paixão.

É perder com classe e vencer com ousadia.

Porque o mundo pertence a quem se atreve e a vida é muito para ser insignificante!”
Charles Chaplin

Que você saiba aproveitar cada momento desse novo ano em prol da sua felicidade.
FELIZ 2010!

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Uma farsa chamada Mega Sena

Você já parou pra pensar se seria possível que a principal loteria do Brasil fosse uma espécie de roubo organizado para lavagem de dinheiro ilegal?

Pois é, com uma simples pesquisa na internet é possível constatar que grande parte dos internautas já pensou nisso e acredita que os sorteios da famigerada Mega Sena não são justos. Porém, muitos concordam que provar que uma fraude existente é difícil, quase improvável. Eis mais uma faceta da interminável corrupção brasileira.

Se você é um daqueles que aposta, principalmente quando ela se acumula, você está sendo enganado. O esquema acontece através de “laranjas” que jogam os números previamente sabidos, uma vez que as bolinhas sorteadas têm alteração no peso. É só lembrar o tanto que esse jogo acumula (o mesmo não acontecia com seu antecessor, a Loto). E, invariavelmente, sempre ganha 1, apenas 1 apostador em algum lugar distante e desconhecido.

Em 2007, encabeçado pelo senador do PSDB Álvaro Dias, investigações sobre o assunto começaram a ganhar forma por parlamentares em Brasília. Inicialmente, descobriu-se o óbvio: inúmeras pessoas envolvidas no esquema e como sempre funcionários da Caixa e de lotéricas, auditores e pessoas ligadas diretamente ao governo federal.

Mais uma vez, a maior vítima é o povo brasileiro que, não raro, destina recursos de outras necessidades para as apostas, numa busca incessante e esperançosa de uma vida melhor através do jogo.

Mas que também sirva de lição, pois se alguém quer enriquecer rápido, este com certeza não é o melhor caminho. Rápido estão enriquecendo essa corja de corruptos através de suas apostas. É o bolso deles que está se enchendo de dinheiro. Deposite esperanças na sua capacidade de trabalho. Não espere por milagres.

O curioso e preocupante é que essa fraude não tem uma divulgação de forma convincente. Seriam interesses obscuros ou rabo preso das grandes mídias para com o governo? Dá pra inocentar alguém de antemão? Com certeza, o governo não quer perder a bocada que ele fatura a cada semana com os jogos. E nem quer mais CPIs sobre o assunto.

As chances de acertar o prêmio máximo (6 números) da Mega Sena é aproximadamente de 1 em 50 milhões. Seguindo essas estatísticas, você possui maiores chances de ser atingido por um meteorito na cabeça do que ganhar nesse jogo. O que geralmente se conclui é que com essas chances é realmente aceitável que o número de acertadores seja freqüentemente baixo (1 ou 2 ganhadores).

Mas e se comparar essas probabilidades com loterias em outro locais do mundo, o que acontece?

Vejamos o exemplo da Euromilhões, uma loteria clássica, operada em conjunto em diversos países da comunidade européia (entre eles França, Inglaterra, Espanha e Portugal). As chances de acertar o prêmio nessa loteria é de aproximadamente 1 em 70 milhões, ou seja, é muito mais difícil acertar na Euromilhões do que na Mega Sena. Agora o fato curioso é que mesmo com essa chance menor, é comum que em todos os sorteios, ou na maioria deles, tenham 2 ou 3 ganhadores no prêmio principal, isso sem falar nos prêmios secundários.

Vamos supor que o Brasil possua uma população de 180 milhões e a soma das populações dos principais países como França (64 milhões), Inglaterra (50 milhões), Espanha (46 milhões) e Portugal (11 milhões) é de aproximadamente de 171 milhões de pessoas (a Alemanha e a Itália não participam da Euromilhões). Dessa forma, com um número de pessoas tão próximo, é um pouco estranho que uma loteria mais difícil de se acertar (Euromilhões) tenha mais ganhadores do que uma mais fácil (Mega Sena).

Isso pode ser explicado se levarmos em conta o número total de apostas realizadas em cada concurso. Lá é comum ser divulgado esses dados. Por exemplo, em Portugal o número de apostas gira em torno de 20 milhões, ou seja, quase o dobro da população. Assim é possível fazer uma estimativa e definir se o número de ganhadores está dentro do provável. Já aqui no Brasil existe uma política de esconder esses números, bem como o horário da aposta e o número do cartão do ganhador. No máximo, apenas é divulgado a cidade onde foi feito o jogo.

E aí, você gostaria de continuar jogando esse jogo de cartas marcadas, onde somente o carteador se dá bem? A escolha e o dinheiro são seus...

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Classic Metal - Volume 2 (2005)

01. Whitesnake - Love Ain´t No Stranger
02. Asia - Heat Of The Moment
03. Gary O´ - Get It While You Can
04. Scorpions - Big City Nights
05. Survivor - Burning Heart
06. Joan Jett & The Blackhearts - I Love Rock ´N Roll
07. Billy Squier - The Stroke
08. Twisted Sister - I Wanna Rock
09. Faith No More - Falling To Pieces
10. Cutting Crew - (I Just) Died In Your Arms
11. Much More Than Love - Flarow
12. King Kobra - Iron Eagle (Never Say Die)
13. J. Geils Band - Centerfold
14. Julian Davies - Whatever!
download via Mediafire

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Abaixo à hipocrisia!

O sistema de cotas adotado na última década por lei no Brasil visa estabelecer igualdade social nas disputas por vagas em instituições públicas, para que todos tenham o direito a disputarem em condições iguais e justas. Aparentemente perfeito… e quase utópico.

Esse sistema tem como objetivo garantir vagas para pobres, negros, indígenas e deficientes nas diferentes instituições governamentais. É também uma maneira de combater o “preconceito” para com as classes mais desfavorecidas. Ou era pra ser.

Não notou algo estranho nisso tudo? Por que garantir vagas para negros, indígenas e deficientes?

Ok, pobres por não terem tido uma formação a nível de escolas particulares, o que ainda assim não justifica, pois há vários casos de pessoas de classe baixa conseguirem passar em 1° lugar em grandes universidades, tudo com esforço e dedicação. Mas e os negros, indígenas e deficientes? Eles não são capazes de conseguirem uma vaga com seu próprio esforço? A cor da pele define a inteligência de alguém desde quando? Quando alguém perde, por exemplo, o movimento das pernas, também perde a capacidade de aprender?

A única coisa que se consegue pensar quando é falado sobre o sistema de cotas é que os inseridos nessas situações são incapazes de conseguir algo por si só. Esse pensamento vem não por minha ou sua culpa, mas é a idéia que isso realmente nos passa.

Seria um negro menos inteligente que um branco?

Um deficiente é incapaz de pegar um livro para estudar?

O sistema de cotas é puro racismo/preconceito. Só não vê isso quem não quer ou quem simplesmente se acomoda pelo fato de estar sendo beneficiado.

Pois bem. Então que o governo, em suas 3 esferas, crie mecanismos capazes de oferecer a toda população, das classes A a E, uma educação condizente e eficaz de forma com que a sociedade não enfrente certas hipocrisias criadas por esse mesmo governo, que há anos, e porque não há décadas, tenta 'tapar o sol com a peneira', se esquivando de suas obrigações.

Abaixo à hipocrisia!

domingo, 27 de dezembro de 2009

Classic Metal - Volume 1 (2004)

01. Journey - Don´t Stop Believin´
02. Kansas - Play The Game Tonight
03. Asia - Only Time Will Tell
04. Europe - The Final Countdown
05. Survivor - Eye Of The Tiger
06. Scorpions - Rock You Like A Hurricane
07. Peter Frampton - Breaking All The Rules
08. Journey - Separate Ways (Worlds Apart)
09. The Outfield - Your Love
10. Troller - Did It All For Love
11. Twisted Sister - We´re Not Gonna Take It
12. Faith No More - Epic
13. Flarow - Open Highway
14. Klaus Spencer - Hard metal
download via Megaupload
download via Rapidshare

sábado, 26 de dezembro de 2009

Acertando as contas com o Papai Noel

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

O verdadeiro sentido do Natal

Andando pelas ruas das cidades, percebe-se que as casas estão todas enfeitadas. O comércio apresenta suas fachadas luminosas, vitrines decoradas com muitas cores. Atrativos os mais diversos para o consumo. É o Natal do mundo materialista e do velhinho de barbas.

Floresce o espírito de fraternidade, solidariedade, caridade e amor, como nunca. Festas de confraternização são organizadas. Trocam-se presentes. Doam-se cestas de alimentos. Famílias se reúnem. Ceias e almoços se realizam.

E o aniversariante?!

Sabemos de fato o que representa o Natal?

A verdadeira razão do Natal, Jesus, o Salvador, não tem vez.

Natal é todo dia e começa em nossos lares, no trabalho, no grupo de amigos, nos locais onde freqüentamos. Enfim, é a vivência e a prática dos ensinamentos do Mestre.

Se Jesus, “o aniversariante”, ocupasse em nossos corações o espaço que lhe é de direito, o mundo seria bem melhor. Não haveria tanta violência, crianças e pedintes pelas ruas, casamentos desfeitos, traições, guerras, tantas doenças provocadas pela prática desenfreada do sexo, os nossos políticos pensariam, com certeza, nos menos favorecidos, não haveria tantas injustiças sociais, não haveria tanto desemprego, não seríamos falsos cristãos. Mas não vivificamos os ensinamentos de Jesus.

Natal é partilhar o que somos e o que temos, principalmente com aqueles que não são respeitados como gente. É saber perdoar, dialogar e esquecer as ofensas recebidas, é ouvir, é deixar o egoísmo e descobrir que o mundo não existe apenas em volta de você, é reconhecer o erro e pedir desculpas, é respeitar o próximo, é fazer do lar um lar verdadeiramente cristão, é os cristãos se respeitando e deixando de lado suas diferenças doutrinárias para juntos anunciarem a boa nova que é Jesus Cristo, é saber fazer uso do dinheiro, o sexo por amor e não pelo desejo, é ter humildade e não fazer do poder o objetivo da própria existência, é pensar como Jesus pensou, é procurar fazer o que Ele fez e amar como Ele amou.

O Natal que eu quero e desejo para você é o verdadeiro Natal cristão.

O Natal que eu quero e desejo para você é um Natal diário, repleto de amor e paz, cheio da presença de Jesus Cristo e que Ele nasça em nossos corações todos os dias do ano.


Um feliz e santo Natal!

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Springfield em festa: os 20 anos dos Simpsons

Quem nunca assistiu ao seriado pelo menos já ouviu falar alguma coisa a respeito: polêmico, sarcástico, cruel. Não importa. Os Simpsons, de Matt Groening, é o desenho animado de maior longevidade em horário nobre da TV nos Estados Unidos, um sucesso absoluto. É exibido atualmente em mais de 100 países, está em sua 20ª temporada e já conta com 400 episódios desde sua estréia em 17 de dezembro de 1989. Sua primeira aparição foi em 1987, como uma vinheta de 30 segundos para o programa de TV “The Tracey Ullman Show”. Algumas pessoas do programa foram aproveitadas posteriormente no elenco de dublagem da série, como Julie Kavner (voz de Marge) e Dan Castellaneta (voz de Homer). A reação dos espectadores foi tão boa que logo os curtas viraram o especial “O Prêmio de Natal”, com duração de meia hora, ganhando, em 14 de janeiro de 1990, uma série regular.

Elogiada pela crítica e odiada por quem é satirizada por ela, os Simpsons, visto atualmente por cerca de 10 milhões de espectadores aos domingos nos Estados Unidos, já ganhou inúmeros prêmios, como 1 Peabody, 17 Emmy, 12 Annie, 3 Genesis, 7 International Monitor e 4 Environmental Media. Depois de um ano de exibição, conquistou ainda uma estrela na Calçada da Fama, em Hollywood.

A característica principal dos Simpsons é sua crítica ácida à sociedade, principalmente à classe média norte-americana, autoridades, culturas e celebridades polêmicas. Várias delas até fizeram participações especiais na série como Danny DeVito, Sting, Joe Mantegna, Kiefer Sutherland, Natalie Portman, Alec Baldwin, Pierce Brosnan, Mel Gibson, Britney Spears e até The White Stripes, Metallica e Aerosmith. Homer, o patriarca da família, já foi guarda-costas de Whitney Houston, personificou Darth Vader, de Star Wars, e contracenou com grandes estrelas como Paul McCartney, Elizabeth Taylor, Ramones e o astronauta Neil Armstrong. Tudo é passível de sátira, basta chamar a atenção na mídia, e inocente é uma palavra que definitivamente não consta em seu dicionário. Até mesmo o canal de TV a cabo Fox, seu principal exibidor, é motivo de suas piadas.

O Brasil também não escapou de ser um de seus alvos. Em 2002, o episódio “Blame it on Lisa”, a aventura dos Simpsons no Brasil, retratou os problemas de nosso país, como a violência: Homer é seqüestrado e Lisa atacada por marginais. Matt Groening também não deixou por menos a ignorância do mundo sobre o nosso país, ao mostrar a Amazônia ao lado do Rio de Janeiro, Bart aprendendo espanhol para vir para cá e macacos e ratos espalhados pelas ruas da capital fluminense. Apesar de não ter feito nada diferente do que costuma fazer com os países que retrata em seus episódios, o então presidente Fernando Henrique Cardoso exigiu desculpas da Fox e a Embratur entrou com uma ação judicial contra seus produtores.

Como não poderia deixar de ser, ao atirar para todo lado, os Simpsons também atraiu para si várias especulações. Uma delas, por exemplo, foi a de qual seria o personagem homossexual do desenho: se o assistente do senhor Burns, Waylon Smithers, ou uma das cunhadas de Homer. Até que, finalmente, no episódio “There's Something About Marrying”, Homer torna-se um pastor que realiza casamentos do mesmo sexo pela internet por US$200 e sua cunhada Patty explica como se apaixonou pela jogadora de golfe Veronica. Quando tudo, enfim, parecia ter sido revelado e mesmo sendo conhecido por não perdoar temas polêmicos, os Simpsons não conseguiu mudar o que todo mundo já sabe: que os EUA são “avassaladoramente anti-casamentos gays”, conforme definiu o presidente do Conselho dos Pais para a televisão dos Estados Unidos, L. Brent Bozell. Fato é que, no final da história, Veronica é desmascarada no altar, sendo, na verdade, um homem.

Talvez este seja um dos motivos por que a série tenha sido bastante criticada em suas primeiras temporadas, em especial por movimentos conservadores. Na China, por exemplo, apesar de ser um dos desenhos mais populares do país, a exibição foi proibida em horário nobre (das 17h às 20h) para que as crianças não fossem influenciadas pela cultura estrangeira e para não prejudicar a produção local, baseada em temas tradicionais.

A influência dos Simpsons vai muito além dos limites da telinha. Isso é refletido em pesquisas que vira e mexe trazem alguns personagens superando nomes consagrados do mundo real. Em 2004, por exemplo, uma pesquisa organizada pela Mother's Union (algo como Associação de Mães), instituição não-governamental que se dedica a promover o casamento e a vida familiar, elegeu Marge Simpson o principal modelo de mãe na Grã-Bretanha. A personagem ficou à frente da apresentadora de TV Lorraine Kelley, de Cherie Blair, mulher do então primeiro-ministro Tony Blair, e da Spice Girl Victoria Beckham.

Outro também que não se saiu nada mal foi Homer Simpson, em enquete realizada pela Radio Times, da BBC, sobre os favoritos do público da Grã-Bretanha para a presidência dos Estados Unidos, na época da reeleição de George W. Bush. Tendo como candidatos apenas personagens da televisão americana, Homer ficou em primeiro lugar, desbancando o personagem Josiah Bartlet (presidente interpretado por Martin Sheen na série The West Wing), Frasier Crane (Frasier), sargento Bilko (The Phil Silvers Show), Gil Grissom (C.S.I.), Jack Bauer (24 Horas), dr. Cliff Huxtable (The Cosby Show), Phoebe (Friends) e Tony Soprano (Os Sopranos).

Além das participações do ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair e do ex-presidente americano Bill Clinton, os produtores dos Simpsons já convidaram os últimos 10 presidentes dos Estados Unidos para participarem da série. “A única carta simpática que recebemos foi da secretária do presidente Ronald Reagan, mas todos os outros disseram 'vocês estão loucos'“, disse o produtor Al Jean.

Para batizar o nome dos principais personagens da família Simpson, o cartunista da série, Matt Groening inspirou-se na própria família. Homer ganhou o nome de seu pai e Marge de sua mãe, Margaret. As filhas do casal animado ganharam os nomes de suas irmãs mais novas, Lisa e Maggie. Para fugir do óbvio, colocou o nome do menino travesso de Bart, um anagrama de Brat que, em inglês, significa pirralho. Como se recusou a sugerir o nome do pai de Homer, os escritores acabaram escolhendo Abraham, que coincidentemente era o nome de seu avô. E, para não fugir do clichê que o criador é influenciado por suas criações, o cartunista deu o nome de Homer e Abe (avô Simpson) a seus dois filhos. Outros personagens como Flanders, Lovejoy, Powell, Quimby e Terwilliger aparentemente parecem ter sido tirados das ruas de Portland. O nome da cidade, Springfield, também foi cuidadosamente escolhido, uma vez todo Estado americano tem uma cidade com esse nome.


Diante de tanto sucesso, confira algumas curiosidades sobre o seriado:

1 - Cada capítulo demora cerca de 6 meses para ser produzido;

2 - Além da família Simpsons, o seriado conta com mais de 300 personagens paralelos;

3 - A primeira palavra que Lisa aprendeu a falar foi “Bart”. Já Bart, quando falou pela primeira vez, disse “Ay Caramba!”

4 - Existem 121 cidades nos Estados Unidos chamadas Springfield;

5 - O nome completo de Bart é Bartholomew Jay Simpson;

6 - O nome do meio de Millhouse é Mussolini;

7 - Na abertura de cada episódio, quando Maggie passa pela caixa registradora, aparece o valor de $847,63. Esse era o valor anual médio gasto para se criar uma criança nos Estados Unidos em 1989;

8 - O número de telefone do Bar do Moe é 7648-4377. Ao digitar esses números no telefone, temos a palavra SMITHERS;

9 - Lisa Simpson é o personagem mais popular da série no Japão;

10 - O barulho da chupeta de Maggie foi gravado pelo próprio criador do desenho, Matt Groening;

11 - Em um episódio Homer, cria um website usando o nome de Mr. X para revelar os podres da população de Springfield. O endereço do site é
http://www.mrxwebpage.com/;

12 - Homer já teve 46 profissões;

13 - 31 personagens já morreram nos Simpsons;

14 - A morte mais espetacular foi de Maude Flanders, que despencou da arquibancada de um estádio na 11ª temporada. Ela morreu porque a atriz Maggie Roswell, que fazia a voz da personagem, queria mais dinheiro para continuar a dublagem. Maggie foi para o olho da rua (e a personagem, pro céu);

15 - Marge Simpsom saiu na capa da Playboy americana em 2009 para comemorar os 20 anos da série;

16 - Em 2008, foi lançado o primeiro longa dos Simpsons;

17 - De acordo com David Silverman, os personagens são amarelos porque Gyorgi Peluci, o colorizador da série, tinha um problema: Bart, Lisa e Maggie não possuiam uma linha que separasse o cabelo da testa, e se a cor da pele fosse mais realista, ia ficar parecendo que a testa deles tinha sido serrada;

18 - Os Simpsons são vistos semanalmente por aproximadamente 40 milhões de pessoas;

19 - Num dos episódios, Marge pintou um retrato do Sr. Burns totalmente nu;

20 - Em sua edição de 31 de dezembro de 1999, a revista “Time” escolheu Os Simpsons como a melhor série de TV do século 20.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

E se encolhessem a sua casa?

obs.: o título dessa postagem há de ser compreendido até o fim da mesma.

O capitalismo mostrou mais uma vez que é incapaz de resolver os problemas que ameaçam a humanidade. A maior reunião diplomática da história, a 15ª Conferência do Clima (COP-15) terminou num retumbante fracasso. Milhões de pessoas que dependiam de uma decisão importante para enfrentar o aquecimento global foram abandonadas à sua própria sorte. “A cidade de Copenhague foi palco de um crime, com os culpados correndo para o aeroporto perseguidos pela vergonha”, resumiu um ambientalista do Greenpeace.

A conferência, que reuniu quase 200 líderes mundiais durante duas semanas, sequer fixou algum tipo de meta para diminuir as emissões dos gases estufa, responsáveis pelo aquecimento global. O único documento apresentado pela conferência – que não prevê metas obrigatórias de redução de emissões de CO2 até 2020 – não terá o menor valor jurídico, pois é apenas uma carta de intenções.

O acordo foi assinado apenas pelos chefes de estado da União Européia, Estados Unidos, China, Índia e África do Sul. O Brasil também assinou, apesar de o presidente Lula ter dito horas antes que estava frustrado com as negociações. Parte dos países africanos, além da Bolívia e da Venezuela, não assinou o documento, num claro sinal de protesto.

Mas Copenhague não só fracassou no objetivo de estabelecer um acordo mundial sobre o clima. Também significou um retrocesso mesmo diante das tímidas ações já feitas para enfrentar o aquecimento, como o Protocolo de Kyoto, o único acordo climático mundial com valor jurídico.

Kyoto estabeleceu metas insuficientes para conter o aquecimento, pedindo que países industrializados diminuam em 5,2% a quantidade de gás carbônico jogada na atmosfera em relação aos índices medidos em 1990. Mas, segundo os cientistas do Painel Intergovernamental de Mudança do Clima (IPCC), é preciso reduzir a emissão dos gases estufa pela metade. Mesmo estabelecendo compromissos rebaixados, os Estados Unidos se recusaram a cumprir as metas de Kyoto. O simples fato de o imperialismo não aderir às metas já tinha provocado a falência do acordo. Agora, em Copenhague, uma pá de cal foi jogada sobre o que restou do protocolo.

Agora fica a questão: o que será do planeta daqui pra frente?
A única certeza é que um futuro sombrio nos espera. Duvida?

"Aquecimento Global: quando você realmente sentí-lo, já será tarde!"

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Rolling Stones, o senhor da música na década

O Rolling Stones é o grupo que mais faturou em concertos nos últimos 10 anos, segundo uma lista publicada pela Billboard. Ao todo, a banda arrecadou cerca de US$869 milhões de dólares (ou €606 milhões de euros). Além do Rolling Stones, nessa lista encontra-se nomes como Madonna, U2 e Bruce Springsteen.

Ao todo, desde 2000, o Rolling Stones já vendeu 8.236.586 bilhetes. Em segundo lugar da lista encontram-se os irlandeses do U2, que fisgaram US$844 milhões de dólares (cerca de €589 milhões de euros), isto com 9.869.953 ingressos vendidos.

Apesar de ter receitas mais elevadas em relação ao U2, o Rolling Stones não esgotou os 264 concertos realizados nos últimos 10 anos, mas "apenas" 190. Já a banda irlandesa esgotou todas as 288 datas.

Vale destacar que em 2006 o Rolling Stones se apresentou no Rio de Janeiro, na praia de Copacabana, pela turnê “A Bigger Bang”, para um público estimado em 1,5 milhão de pessoas. Essa mesma turnê é também a mais rentável, não só da década, mas da história da música, já que arrecadou cerca de US$558 milhões de dólares.

Além destes nomes, da lista da Billboard constam Madonna, com €558 milhões de euros, Bruce Springsteen, com €488 milhões de euros e Elton John, com receitas que rondam os €421 milhões de euros.

E o fato desses artistas terem arrecadado receitas mais elevadas nos últimos 10 anos não leva à condição de terem atuado para um maior número de pessoas, já que este feito pertence a Dave Matthews Band, que ao todo vendeu 11.230.696 bilhetes.

Já os artistas mais caros dos últimos 10 anos foram o ex-Beatle Paul McCartney e o The Police. O primeiro recebeu uma média de €1,5 milhão de euros por cada concerto e o segundo por volta de €1,7 milhão de euros por cada espectáculo. O grupo liderado por Sting terminou a sua turnê mundial de regresso em agosto de 2008, no Madison Square Garden, depois de 14 meses de concertos.


Eis os 25 artistas que mais arrasaram financeiramente na década
1. Rolling Stones (US$869.471.325,00)
2. U2 (US$844.157.925,00)
3. Madonna (US$801.299.671,00)
4. Bruce Springsteen (US$688.136.476,00)
5. Elton John (US$603.804.670,00)
6. Celine Dion (US$536.593.262,00)
7. Dave Matthews Band (US$505.447.901,00)
8. Kenny Chesney (US$477.931.760,00)
9. Bon Jovi (US$419.481.741,00)
10. Billy Joel (US$418.421.266,00)
11. The Police (US$361.851.102,00)
12. Eagles (US$347.640.186,00)
13. Tim McGraw US$303.950.209,00)
14. Aerosmith (US$292.201.481,00)
15. Neil Diamond (US$264.810.659,00)
16. Cher (US$257.319.809,00)
17. Paul McCartney (US$238.755.522,00)
18. Rod Stewart (US$233.773.789,00)
19. Metallica (US$227.568.718,00)
20. Rascal Flatts (US$222.256.153,00)
21. Britney Spears (US$216.229.560,00)
22. Jimmy Buffett (US$215.367.754,00)
23. Tina Turner (US$212.012.527,00)
24. Toby Keith (US$271.904.093,00)
25. Trans-Siberian Orchestra (US$203.605.519,00)

domingo, 20 de dezembro de 2009

Por que odiar o fim de ano

Presentes: você nunca recebe o que pediu. A maioria dos presentes não presta ou não serve. Se lhe dão sapatos, eles são 2 números abaixo do seu. E a sua tia acha que você ficará um charme com a camisa havaiana com estampas de coqueiros que ela comprou. Em compensação, você ganha um estoque de meias para uma década. Todas de cor bege com bolinhas vermelhas.

Programação de TV: além do show do Roberto Carlos, os canais são invadidos por filmes natalinos. Você vê a 385ª reprise de “Milagre na rua 34” e a 657ª de “Esqueceram de mim”. Sem falar na overdose de filmes que se passam na Roma antiga. A quantidade de marmanjos usando saias e sandálias só é superada por festas gays a fantasia.

Hipocrisia: todo mundo lhe deseja feliz Natal e próspero ano novo. Do zelador que te xinga pelas costas ao teu patrão. Este que, por sinal, vai te despedir assim que você voltar ao escritório.

Amigo secreto: todo ano, é aquela mesma história. Você organiza um amigo secreto no trabalho e sempre acaba tirando aquele mala que não gosta de nada e põe defeitos em tudo. Para ajudar, você nunca dá sorte de ser pego por aquela loira gostosa que está solteira.

Bonificações: todo mundo aparece para te pedir o “bônus de fim de ano”. O cara que limpa a rua, o jornaleiro, o lixeiro que adora deixar metade do lixo espalhado na frente da sua casa (fora do saco, claro) e até um guarda noturno que você nunca viu na vida. Porém, o seu 13º salário, como sempre, continua aquela miséria.

Retrospectivas: tudo aquilo que você tentou esquecer durante o ano é lembrado por jornais e telejornais. Crises, guerras, assassinatos e o diabo a quatro. Você assiste e lê tudo e depois não consegue dormir na noite da virada, com medo do fim do mundo.

Trilha sonora: em todos os lugares, nas lojas e supermercados, você só ouve “Jingle bells” tocada por harpas paraguaias ou “Bate o sino” entoada por um coral de crianças desafinadas. Mas o pior: Simone arrepiando em um cover de John Lennon: “Entãããão é Nataaaal, e o queeee vocêêêê feeeezzzz...”.

Visitas familiares: por mais legal que seja a sua família, tem sempre algum parente pentelho. E ele vai te visitar. Se não são aqueles seus priminhos pestinhas que adoram quebrar seus móveis, são aqueles seus tios distantes que aparecem para tomar um café. E acabam jantando.

Repetições: se já não bastasse, são exibidos filmes e/ou especiais da Xuxa e do Renato Aragão e matérias televisivas mostrando como o reveillon é comemorado em cada parte do mundo, incluindo um repórter dizendo que “No Japão, o ano novo já começou!”. Tudo igual, inclusive o seu tédio diante de tudo isso.

Porre: tem sempre alguém que exagera nas festas. Se não é você que fica bêbado e dá vexame, é um convidado que se encarrega de beber tudo e mais um pouco para depois vomitar a ceia inteira. E em cima do seu sofá novo.

Ano novo: quando chega janeiro você pensa: “Ufa, enfim acabou tudo”. Que nada. É a hora em que a fatura do seu cartão chega e você se arrepende de tudo o que gastou.

sábado, 19 de dezembro de 2009

Sons que você não conhece... mas deveria!

Zinatra - Love or loneliness

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

De Lula para Papai Noel

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

A verdade sobre o ataque a Berlusconi

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Sexo na 3ª idade

Devido ao falecimento de seu avô, aos 95 anos, Camilo vai fazer uma visita de pêsames à sua avó de 90 anos.

Quando chega, encontra a anciã chorando e tenta confortá-la.

Um pouco depois, quando vê a avó mais calma, o neto a interroga:

- Vovó, como morreu o vovô?

- Morreu enquanto nós fazíamos sexo.

Camilo, espantado, indaga que pessoas de 90 anos ou mais não deveriam fazer sexo porque é muito perigoso.

Ao que a avó responde:

- Mas nós só fazíamos aos domingos, já a cinco anos e com muita calma, ao compasso das badaladas do sino da igreja. No “ding”, ele colocava e no “dong”, ele tirava... E se não fosse o filho da puta do sorveteiro passar justo naquela hora com o seu apito, o seu avô ainda estaria vivo!

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Os 25 anos do Band Aid

Organizado por Bob Geldof e Midge Ure em 1984, o Band Aid foi um grupo composto da união de músicos britânicos e irlandeses (exceção de Robert Bell e Dennis Thomas, norte-americanos do Kool & The Gang) com o intuito de arrecadar fundos em prol dos famintos da Etiópia.

Tudo começou quando Bob Geldof assistiu em outubro daquele ano a uma reportagem na BBC sobre a fome no país africano. Chocado com as imagens que vira, procurou através da música fazer algo que lhe permitisse angariar fundos para combater aquele flagelo.

Foi aí que o surgiu o compacto “Do they know it´s Christmas?” (“Eles sabem que é Natal?”). Se a Bob coube a coordenação do projeto, Midge ficou sendo o encarregado da parte musical. Produzido por Trevor Horn, o compacto logo figurou em primeiro lugar dentre os mais vendidos durante vários meses, tornando-se num intemporal hino de Natal. As vendas geraram à época um montante de cerca de £10 milhões de libras (US$18 milhões de dólares).

A fundação de caridade montada para arrecadar o dinheiro foi chamada de “Band Aid Trust”. Este projeto acabaria resultando no concerto Live Aid em 1985, que acabou se transformando em um fenômeno mundial, arrecadando dez vezes mais do que o lucro alcançado com o compacto do ano anterior.

O compacto original de “Do they know it´s Christmas?” foi gravado em um único dia, 25 de novembro de 1984 e lançado oficialmente em 15 de dezembro do mesmo ano, aproveitando propositadamente a época do Natal.


A formação original do Band Aid consistia dos seguintes músicos:
Bob Geldof, Midge Ure, Adam Clayton, Bono Vox, Andy Taylor, Phil Collins, Paul Weller, Steve Norman, James Taylor, David Bowie, Jon Moss, Chris Cross, George Michael, John Taylor, Martyn Ware, Sting, Paul Young, Tony Hadley, Glen Gregory, Simon Le Bon, Simon Crowe, Marilyn, Keren Woodward, Martin Kemp, Jody Watley, John Keeble, Gary Kemp, Roger Taylor, Sarah Dallin, Siobhan Fahey, Pete Briquette, Francis Rossi, Robert Bell, Dennis Thomas, Rick Parfitt, Nick Rhodes, Johnny Finger, Boy George, Holly Johnson, Paul McCartney, Stuart Adamson, Bruce Watson, Tony Butler e Mark Brzezicki.


segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Alec Azam, um coelho muito além da mágica

domingo, 13 de dezembro de 2009

O mistério das canetas BIC

Acredito que sempre que pensamos em caneta, temos uma imagem projetada em nossa mente, a qual diz respeito às famosas canetas BIC.

Esta marca de canetas, que investe pouquíssimo em propaganda, fixou uma imagem muito forte diante a tantas outras marcas e modelos. Você já se perguntou como isso acontece?

Certamente responderá que, por esta ser uma caneta barata, simples e de fácil acesso, tornou-se convencional seu uso no dia-a-dia, desde a escola até a empresa onde trabalha. Pois bem, a resposta não é assim tão simples.

Documentos secretos encontrados no final do ano de 2001 indicam um envolvimento direto da NASA com a BIC. Também foram encontrados documentos oficiais da NASA, onde estavam registrados estudos sobre uma possível invasão de sondas extraterrestres no planeta Terra.

Acredite ou não, a população terráquea está sendo vigiada a anos sem percepção alguma. De fato, conclui-se que as canetas BIC são, sem sombra de dúvida, sondas extraterrestres que nos inspecionam diariamente, desde nossa infância até hoje, seja em casa, na escola, no lazer ou no local de trabalho.

Certamente você está exposto a uma caneta BIC neste exato momento. Olhe ao seu lado. Dificilmente num raio de 15 metros não haverá uma sonda.

Agora pense: ao nascer você é registrado com uma caneta; ao entrar para a escola/universidade idem; tudo o que você escreve, desde estudos até cartas de amor, é escrito com uma caneta. Resumindo: estes seres que nos observam sabem de absolutamente tudo sobre todos.

O verdadeiro significado da marca BIC é Big Inspection Center (Centro de Grandes Inspeções). No logotipo da BIC notamos um alien tentando esconder atrás dele seu maior segredo: uma caneta que pode contar toda a história de todos os tempos (simbolizado pelo traço preto atrás do alien).

Eis algumas dicas que nos levam a propor esta idéia:

- as canetas BIC são facilmente encontradas para serem vendidas, porém depois que você já a possui, ela sempre aparece em diferentes locais e você nunca se questiona se realmente havia deixado onde a encontrou;

- mesmo que você compre apenas uma caneta BIC, certamente encontrará várias no local onde a deixar. Elas se multiplicam rapidamente, sem ser perceptível a nós, que somos dotados de uma visão banal se comparada à visão alienígena;

- após poucos meses, a caneta que você havia comprado simplesmente desaparece. Isso é facilmente decifrável se pensarmos da seguinte maneira: tudo necessita de energia para sobreviver (o homem, o carro, as plantas, por exemplo), e ao acabar esta energia, ela precisa ser reposta. Assim, as sondas BIC tem um período de vida curto, visto que quando se encontram gastas, elas simplesmente se desintegram para uma possível recarga.

A mensagem a ser dita é que você tenha muito cuidado ao se deparar com estas canetas-sondas, principalmente com as sondas mais avançadas, vulgarmente chamadas de BIC 4 cores, BIC 2 cores ou mesmo a tão temida e perigosa BIC verde! Esta última jamais deve ser colocada em cima da orelha, pois além de enviar dados e informações sobre você para os alienígenas, consegue influenciar de maneira drástica sua forma de pensar, tornando-o um escravo a serviço alienígena.

Portanto, cuidado com a manipulação alien! Já estamos todos envolvidos nisso. Tentar qualquer forma de fuga ou apatia não é aconselhável. Saiba lidar com elas. Desta forma acredito que não mais estaremos expostos a uma ideologia alien, e poderemos defender o que realmente pertence a nós: o planeta Terra!

sábado, 12 de dezembro de 2009

O início de uma batalha

O norte-americano Ronnie James Dio, um dos maiores nomes do heavy metal mundial, dono de uma conceituada carreira solo à frente do Dio e que também esteve à frente de bandas como Rainbow e Black Sabbath e atualmente lidera o Heaven & Hell, foi diagnosticado com um câncer no estômago no final de novembro.

A esposa e empresária do cantor, Wendy Dio, anunciou a notícia à mídia:


“Ronnie foi diagnosticado com os primeiros estágios de câncer no estômago. Depois que ele matar este dragão, Ronnie voltará aos palcos, onde é o lugar dele, fazendo o que ele mais gosta, shows para seus fãs. Agradeço a todos os amigos e fãs de todo o mundo que têm prestado apoio. Isso tem realmente ajudado a manter o ânimo.”

Dio, de 67 anos, cancelou a turnê européia na última semana após adoecer. Seu último lançamento foi o “Holy Diver Live”, contendo uma apresentação do clássico álbum “Holy Diver” na íntegra, gravado em 2005.

No último dia 9 de dezembro, Dio começou na prática o seu processo de quimioterapia. Sua esposa Wendy novamente divulgou as notícias em nota:


“Bem, tem sido um mês muito cansativo. Após todos os intermináveis testes em Los Angeles, voamos para a Clínica Mayo, em Minnesota, e logo que chegamos, recebemos um telefonema do hospital informando que tínhamos uma posição do médico que originalmente queríamos para o tratamento. Por isso, em seguida, viajamos para a clínica em Houston e Ronnie terminou recebendo sua primeira sessão de quimioterapia. Tudo está indo muito bem.”

Na mesma nota, Wendy agradece alguns médicos, pessoas da gravadora Eagle Records e também Geezer Butler, baixista do Heaven & Hell, e sua esposa, Gloria Butler. Geezer Butler acompanhou Dio durante a primeira sessão de quimioterapia, em Houston.

Wendy também comentou que ela e Dio estão lendo todos os recados e mensagens enviadas por fãs de todo o mundo.
“Alguns nos fazem rir, alguns nos fazem chorar, mas todos eles são tão cheios de amor que nos dá muito apoio e faz com que Ronnie fique mais determinado a lutar e vencer essa batalha.”

Só resta agora desejar boa sorte e muita força nessa fase complicada e que o quanto antes, Dio volte à sua rotina. Vida longa ao verdadeiro heavy metal, vida longa a Ronnie James Dio!

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Vivendo e aprendendo

Eu aprendi...
...que deveríamos ser gratos a Deus por não nos dar tudo que Lhe pedimos;

Eu aprendi...
...que ter uma criança adormecida nos braços é um dos momentos mais pacíficos do mundo;

Eu aprendi...
...que ser gentil é mais importante do que estar certo;

Eu aprendi...
...que nunca se deve negar um presente a uma criança;

Eu aprendi...
...que eu sempre posso fazer uma prece por alguém quando não tenho a força para ajudá-lo de alguma outra forma;

Eu aprendi...
...que não importa quanta seriedade a vida exija de você, cada um de nós precisa de um amigo brincalhão para se divertir junto;

Eu aprendi...
...que algumas vezes, tudo o que precisamos é de uma mão para segurar e um coração para nos entender;

Eu aprendi...
...que os passeios simples com meu pai em volta do quarteirão nas noites de verão quando eu era criança fizeram maravilhas para mim quando me tornei adulto;

Eu aprendi...
...que dinheiro não compra "classe";

Eu aprendi...
...que são os pequenos acontecimentos diários que tornam a vida espetacular;

Eu aprendi...
...que debaixo de uma "casca grossa", existe uma pessoa que deseja ser apreciada, compreendida e amada;

Eu aprendi...
...que Deus não fez tudo num só dia; o que me faz pensar que eu possa?;

Eu aprendi...
...que ignorar os fatos não os altera;

Eu aprendi...
...que quando você planeja se nivelar com alguém, apenas está permitindo que essa pessoa continue a magoar você;

Eu aprendi...
...que o amor, e não o tempo, é que cura todas as feridas;

Eu aprendi...
...que a maneira mais fácil para eu crescer como pessoa é me cercar de gente mais inteligente do que eu;

Eu aprendi...
...que cada pessoa que a gente conhece deve ser saudada com um sorriso;

Eu aprendi...
...que ninguém é perfeito até que você se apaixone por essa pessoa;

Eu aprendi...
...que a vida é dura, mas eu sou mais ainda;

Eu aprendi...
...que as oportunidades nunca são perdidas; alguém vai aproveitar as que você perdeu;

Eu aprendi...
...que quando o ancoradouro se torna amargo, a felicidade vai aportar em outro lugar;

Eu aprendi...
...que devemos sempre ter palavras doces e gentis pois amanhã talvez tenhamos que engolí-las;

Eu aprendi...
...que um sorriso é a maneira mais barata de melhorar sua aparência;

Eu aprendi...
...que não posso escolher como me sinto, mas posso escolher o que fazer a respeito;

Eu aprendi...
...que todos querem viver no topo da montanha, mas toda felicidade e crescimento ocorre quando você está escalando-a;

Eu aprendi...
...que só se deve dar conselho em duas ocasiões: quando é pedido ou quando é caso de vida ou morte;

Eu aprendi...
...que quanto menos tempo tenho, mais coisas consigo fazer.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

'Os Barbixas' em: "Ei, você disse pipoca?"

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Artista da vez - QUIET RIOT

país: Estados Unidos
gênero: rock/heavy metal
integrantes:
Kevin DuBrow (vocal)
Carlos Cavazo (guitarra)
Rudy Sarzo (baixo)
Frankie Banali (bateria)

histórico: O ano era 1973. O guitarrista Randy Rhoads e o baixista Kelly Garni moravam na Califórnia e durante quatro anos tocaram em algumas bandas pequenas. Já estavam cansados de tocar em festas na região e, em 1975, juntaram-se a dois amigos: Kevin DuBrow (vocal) e Drew Forsyth (bateria), criando, assim, o Quiet Riot, que rapidamente tornou-se um dos grupos mais ativos de rock pesado da região de Los Angeles.

Logo a Sony Record percebeu o talento do grupo e fechou um contrato para lançar dois álbuns, só que no Japão: “Quiet Riot” (1977) e “Quiet Riot II” (1978). Estranhamente, os discos nunca foram lançados nos Estados Unidos. O plano para fazer a esperada turnê japonesa estava pronto, já que o disco estava bem no país, mas ele foi cancelado. Naquele mesmo ano, o grupo ainda enfrentou as saídas de Kelly Garni e Randy Rhoads, que passou no teste para ser o guitarrista da banda de Ozzy Osbourne.

O grupo se dispersou e Kevin criou uma nova banda com o baterista Frankie Banali e o baixista cubano Rudy Sarzo, mas com a chegada do novo guitarrista, Carlos Cavazo, eles decidiram fazer daquela reunião a volta do Quiet Riot. O grupo fechou um contrato com a Pasha Records e lançou, em 1983, “Metal Health”. O sucesso repentino do disco surpreendeu a todos e a canção “Cum on feel the noize”, cover do Slade, foi direto para as paradas norte-americanas. Outra faixa importante no disco foi “Thunderbird”, uma homenagem ao guitarrista Randy Rhoads, que havia falecido em um acidente um ano antes.

O próximo álbum, “Condition Critical”, saiu em 1984 e trouxe mais uma canção cover do Slade, “Mama, weer all crazee now”. A crítica achou que o disco era uma cópia do anterior e o grupo enfrentou o início de uma crise. Quando recuperaram a atenção da mídia para “Quiet Riot III”, que saiu em 1986, Rudy Sarzo abandonou o grupo e foi substituído por Chuck Wright. O álbum foi um fracasso e a turnê resultou em mais baixa para o Quiet Riot. Kevin DuBrow largou o grupo no Havaí, onde tinha feito o último show da turnê e pegou um vôo mais cedo. Os conflitos internos ainda resultaram na saída de Chuck.

Foram dois anos para se recuperar de tantas mudanças e colocar mais um álbum nas lojas, “Quiet Riot”. A nova formação ficou completa com a entrada de Sean McNabb no baixo e Paulo Shortino no vocal. A turnê do disco estava pronta e o que parecia ser um promissor recomeço, foi apenas um pequeno suspiro. Os ex-integrantes Carlos Cavazo e Frankie Banali moveram uma ação que proibiu o grupo de usar o nome de Quiet Riot e eles pararam de tocar.

A reconciliação só aconteceu em 1993, mesmo assim, só com parte da banda. Kevin, Carlos e Frankie lançaram “Terrified”, que não chegou a fazer sucesso. Eles tentaram melhorar a imagem com outro lançamento no mesmo ano, “Randy Rhoads Years”, que continha gravações do começo do grupo com o guitarrista, o que também não funcionou. Sem desistir, o Quiet Riot colocou no mercado, dois anos depois, “Down To The Bone”, que também não emplacou.

Para o Quiet Riot voltar a se destacar foi preciso engolir os sapos do passado. Kevin DuBrow, Carlos Cavazo, Rudy Sarzo e Frankie Banali se reuniram novamente em 1997 e saíram em turnê mundial no ano seguinte, na qual foi gravado o disco “Alive & Well”, em 1999. Um trabalho inédito só foi lançado em 2001, “Guilty Pleasures”. Em 2003, DuBrow deu início a um novo projeto e a banda encerrou suas atividades mais uma vez.

fim definitivo: o fundador e vocalista da banda Kevin DuBrow, que se destacava pelo estilo grave e rouco de cantar e por seu grande carisma, foi encontrado morto em sua casa, em Las Vegas, com 52 anos, em 25 de novembro de 2007, seis dias após sua morte por overdose de cocaína. Chocados com a notícia, os outros integrantes resolveram colocar um ponto final na história conturbada desse lendário grupo, que por sinal foi eleito em 2000 pela VH1 um dos 100 maiores artistas da história do rock.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Uma questão de marketing

Em uma convenção de fabricantes de cervejas, reunindo produtores do país, estavam presentes os presidentes da Brahma, Skol, Kaiser, Antarctica, Schin, Polar, dentre outras.

Ao término do simpósio, todos se reuniram em um restaurante para uma confraternização.

Muito esperto, ao perceber a aproximação do garçom, o presidente da Schin pediu em alto e bom som:

- Garçom, uma Nova Schin, por favor! Isso sim é que é bebida!

Todos se olharam espantados, enquanto ele contemplava sua cerveja, certo de que saíra bem.

Não querendo deixar por menos, o presidente da Brahma sentenciou:

- Amigo! Traga a verdadeira nº 1!

Novamente todos se olharam espantados e ele ficou achando que deu a resposta merecida!

Na mesma moeda, o presidente da Kaiser bate na mesa e grita:

- Me vê a do baixinho! Esse sabe das coisas...

Enquanto todos olhavam para o garçom que se aproximava com a cerveja, ele ficou convicto que tinha dado a resposta à altura.

Não podendo perder a oportunidade, o presidente da Skol pede:

- Me traga aquela que desce redondo!

Novamente todos se olharam espantados e ele ficou achando que deu a resposta merecida!

Indo na mesma onda, o presidente da Antarctica berra ao garçom:

- Traga a boa! Boa? Só se for Antarctica!

Mais uma troca de olhares matadores entre eles. Essa tinha sido uma boa resposta.

E assim, seguiram os presidentes das cervejarias, cada um pedindo à sua maneira, até que chegou a vez do presidente da Polar:

- Ei, garçom... Me traga um suco de laranja, por favor!

Todos se olharam abismados, achando que ele perdera uma boa oportunidade de responder à altura.

O garçom curioso aproxima-se e pergunta:

- O senhor tem certeza de que quer um suco de laranja?

- Absoluta! Se ninguém aqui vai beber cerveja, eu também não vou!

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Sons que você não conhece... mas deveria!


Eddie Money - Take me home tonight

domingo, 6 de dezembro de 2009

Vírus verde

sábado, 5 de dezembro de 2009

Scorpions - Moment Of Glory, Live With The Berlin Philharmonic Orchestra (2000)

Em 2000, em sua cidade-natal, Hannover, e ao lado da Orquestra Filarmônica de Berlim, o Scorpions gravou o que, provavelmente, é o melhor trabalho de toda a sua história. “Moment Of Glory” foi bem aceito tanto pelos fãs quanto pela crítica porque tratava-se de algo inteiramente novo.

A banda entendeu o espírito da coisa e teve uma visão ampla de como trabalhar com uma orquestra. Esta, por sua vez, teve a espetacular participação de Christian Kolonovits, que fez os arranjos e conduziu a filarmônica com excelência.

A idéia que algumas bandas passaram para seus fãs é de que uma orquestra é formada por violinistas, violoncelistas e alguns outros instrumentistas de pouca participação nas músicas. Claro, violino e violoncelo são básicos e não faltam neste show. Porém, podemos ouvir com clareza a presença de viola, flauta, oboé, clarinete, trombone, tuba, harpa, dentre outros.

Os arranjos são de uma riqueza impressionante. Músicas como “Wind Of Change” e “Still Loving You” ficaram ainda mais belas que em suas versões originais. É de dar arrepio. As instrumentais “Crossfire” e “Deadly Sting Suite” mostram o rock completamente integrado à música clássica e ao peso de uma orquestra de verdade. Entre as mais pesadas, o destaque fica mesmo com “Hurricane 2000”, simplesmente sensacional.

A poderosa força que emana da banda é levada a outros níveis de excitação e novamente consagrada pela sua legião de fãs. Com certeza um show perfeito e inesquecível, que é literalmente um momento de glória para todos que admiram esse monstro alemão chamado Scorpions!


tracklist
1. Hurricane 2000
2. Moment Of Glory
3. You And I
4. We Don't Own The World
5. Here In My Heart
6. We'll Burn The Sky
7. Big City Nights
8. Deadly Sting Suite (Crossfire / He's A Woman, She's A Man / Dynamite)
9. Wind Of Change
10. Still Loving You
11. Moment Of Glory (Encore)
download parte 1
download parte 2
download parte 3

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Do céu ao inferno

Certo dia, Lula morre (cirrose?). Deus e o Diabo brigam porque nenhum dos dois quer ficar com ele.

Sem acordo, pedem a mediadores uma solução, que decidem por uma proposta para que ele se alterne um mês no céu e outro no inferno.

No 1° mês, Lula vai para o céu.

Deus não sabe o que fazer, quase fica louco. O metalúrgico bagunça tudo.

Atrapalha todos os elementos das orações e da liturgia.

Dissolve o sistema de assessoria pessoal dos anjos e tenta formar uma coligação de maioria absoluta na base da compra de votos.

Suborna arcanjos, querubins e serafins.

Transfere 1 quilômetro quadrado do céu para o inferno e nomeia anjos provisórios aos milhares.

Intervém nas comunicações aos Santos.

Troca as placas das portas de São Pedro.

Envia um projeto de lei aos apóstolos para reformar os Dez Mandamentos e anistiar Lúcifer.

Funda o PTC (Partido dos Trabalhadores Celestiais), com uma estrela azul-claro como símbolo.

O céu vira um caos. As pessoas não o suportam mais e promovem piquetes e invasões. Deus não vê a hora de chegar o fim do mês para mandá-lo para o inferno.

Quando Lula finalmente se vai, Deus respira aliviado. Mas lá pelo dia 20 começa a sofrer novamente, pensando que dentro de 10 dias terá que voltar a vê-lo.

No 1º dia do mês seguinte, nada acontece e Lula não volta do inferno. No 5° dia, ainda sem notícias, Deus estava feliz, mas logo começou a pensar que, tendo passado mais tempo no inferno, Lula poderia querer passar 2 meses seguidos no céu. Desesperado com a mera possibilidade, Deus decide chamar o inferno por telefone para perguntar ao diabo o que estava acontecendo.

”Ring...ring...ring...”

Um diabinho atende e Deus pergunta:

”- Por favor, posso falar com o Demônio?”

“- Qual dos dois?” - responde o empregado - “O vermelho com chifres ou o filho da puta sem dedo?”

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Lovy Metal - Volume 3 (2003)

01. Aerosmith - Crazy
02. Skid Row - 18 And Life
03. Poison - Something To Believe In
04. Scorpions - Love Of My Life
05. Billy Idol - Eyes Without A Face
06. The Sign - Wherever You Will Go
07. Shaman - Fairy Tale
08. Ozzy Osbourne - Changes
09. Extreme - Hole Hearted
10. Toto - Rosanna
11. REO Speedwagon - Can´t Fight This Feeling
12. Marc Ferr - In A Darkened Room
13. Prisoner - Nothing Else Matters
14. Klaus Spencer - I Need You Now
download

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Como estragar deploravelmente clássicos da música

Clássico 1
Foreigner - I want to know what love is


Lixo 1 Mariah Carey - I want to know what love is

Clássico 2 Heart - Alone

Lixo 2 Calcinha Preta - Hoje à noite

Clássico 3 Europe - Sign of the times

Lixo 3 Banda Líbanos - Brigas

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Matemática de mendigo

Um estagiário qualquer elaborou uma pesquisa um tanto quanto perfeita, pois o resultado que ele conseguiu obter é a mais pura realidade. Porém, esse tal realidade pode ser espelhada não só em estagiários, mas em grande número de assalariados por esse Brasil afora.

"Um sinal de trânsito muda de estado em média a cada 30 segundos (30 segundos no vermelho e 30 no verde). Então, a cada minuto um mendigo tem 30 segundos para faturar pelo menos R$0,10, o que numa hora dará: 60 x 0,10 = R$6,00.

Se ele trabalhar 8 horas por dia, 25 dias por mês, num mês terá faturado: 25 x 8 x 6 = R$ 1.200,00.

Será que isso é uma conta maluca?

Bom, R$6,00 por hora é uma conta bastante razoável para quem está no sinal, uma vez que, quem doa, nunca dá somente R$0,10 e sim R$0,20, R$0,50 e às vezes até R$1,00.

Mas, tudo bem, se ele faturar a metade: R$3,00 por hora terá R$600,00 no final do mês, que é o salário de um estagiário com carga de 35 horas semanais ou 7 horas por dia.

Ainda assim, quando ele consegue uma moeda de R$1,00 (o que não é raro!), ele pode descansar tranqüilo debaixo de uma árvore por mais 9 viradas do sinal de trânsito, sem nenhum chefe pra encher o saco por causa disto.

Mas considerando que é apenas teoria, vamos ao mundo real.

De posse destes dados, fui entrevistar uma mulher que pede esmolas, e que sempre vejo trocar seus rendimentos em uma padaria. Então lhe perguntei quanto ela faturava por dia. Imagine o que ela respondeu?

É isso mesmo, de R$35,00 a R$40,00 em média, o que dá 25 (dias por mês) x 35 = R$875,00 ou 25 x 40 = R$1000,00. Então na média R$ 937,50. E ela disse que não mendiga 8 horas por dia."

Moral da históra:
- É melhor ser mendigo do que estagiário (e muito menos professor), e pelo visto, ser estagiário e professor são pior que ser mendigo em termos de rendimentos.

- Se esforce como mendigo e ganhe mais do que um estagiário ou um professor.

- Estude a vida toda e peça esmolas; é mais fácil e melhor que arrumar emprego.

Agora imagine colocar meia dúzia de filhos pra trabalhar pra você. Aí já virou empresa!

E lembre-se: mendigo não paga 1/3 do que ganha pra sustentar um bando de ladrões."

Que país é esse?

domingo, 29 de novembro de 2009

Lovy Metal - Volume 1 (2001)

01. Queensryche - Silent Lucidity
02. Scorpions - Still Loving You
03. Extreme - More Than Words
04. Skid Row - I Remember You
05. Nelson - Only Time Will Tell
06. Winger - Miles Away
07. Poison - Something To Believe In
08. Firehouse - When I Look Into Your Eyes
09. Century - Lover Why
10. Kansas - Dust In The Wind
11. Europe - Carrie
12. Mr. Big - To Be With You
13. Warrant - Heaven
download via Megaupload
download via Rapidshare

sábado, 28 de novembro de 2009

Yes, o rock 'n roll ainda sobrevive!

Símbolo máximo da juventude e de rebeldia contra a mesmice, o rock 'n roll nunca combinou muito bem com a idéia de envelhecimento. Mas 36 anos depois de plugar o mundo em seu hard rock de altíssima voltagem, o AC/DC parece longe de dar sinais de que esteja perdendo energia.

Diante de um Morumbi lotado, com mais de 65 mil pessoas, a banda formada na Austrália pelos irmãos escoceses Angus e Malcolm Young subiu ao palco às 21h35 e fez uma apresentação de exatas duas horas de duração, com direito a explosões, muito suor e um mar de chifrinhos luminescentes que fizeram as arquibancadas do estádio brilhar do começo ao fim do espetáculo. No palco, um show à parte de luzes e tecnologia: telões em alta definição exibiam trechos de animações e imagens em estilo de videogame e um conjunto de mais de 200 caixas de som proporcionavam um volume raramente ouvido em estádios.

O repertório, sem surpresas, foi praticamente o mesmo que vem sendo apresentado na turnê de "Black Ice", 15º e mais recente álbum de estúdio do grupo, que, apesar de lançado só em outubro de 2008 e de trazer poucas novidades, foi simplesmente o segundo disco mais vendido daquele ano.

Apoiado nas mesmas músicas (Back in black, Highway to hell e T.N.T.) e no mesmo figurino (Angus ainda não desistiu de se vestir como um colegial rebelde de bermuda e gravata [verde-e-amarela, para a ocasião]), o AC/DC não inventa moda. Faz um rock sem firulas, de riffs poderosos e instrumentalmente muito bem elaborado.

Há 13 anos sem visitar o país (a última vez foi em 1996, e a primeira no Rock in Rio de 1985), o vocalista Brian Johnson não fez questão de dizer que "amo muito vocês" ou de ficar papagaindo frases decoradas. "Não sabemos português, mas falamos uma língua que todo mundo é capaz de entender: rock 'n roll", avisou logo no início do show, iniciado com Rock 'n roll train, faixa do disco novo, dona de um dos riffs mais grudentos de toda a discografia do AC/DC.

A metáfora da locomotiva roqueira ou da máquina de guerra que não pode parar inspira não só os cenários do show, com direito a um trem de 6 toneladas e diversos canhões no palco, como traduz a própria perfomance de Johnson e Angus. Pouco se lixando para a barriguinha saliente ou para a calvície típicas dos seus bem mais que 50 anos de idade, vocalista e guitarrista concentram praticamente todas as atenções do público, ora correndo pelo palco de 78 metros de largura, ora incorporando o guitar hero em um solo de quase 10 minutos numa plataforma elevada na passarela projetada sobre o público.

Em um dos pontos mais altos do show, ao som da blueseira The Jack, de 1975, Angus faz um strip tease, ficando só de bermudas e com sua inseparável Gibson SG até o final do espetáculo. Sem ter nem sombra do sex appeal de um Mick Jagger, a intenção é menos de sensualidade e mais de fanfarrice. Suas musas não são top models, mas garotas sujas e de seios fartos como Rosie, a conhecida boneca inflável gigante que a banda traz de volta ao palco, desta vez de calcinha e cinta-liga, simulando sexo com a locomotiva do cenário durante a clássica Whole lotta Rosie.

Como há três décadas, o show do AC/DC é um grande teatro. Fala de sexo, de inferno, de trovão e de todos os clichês associados ao imaginário do gênero. Parece fácil de fazer, como o parecem os solos de Angus ou a bateria e baixo econômicos de Phil Rudd e Cliff Williams, mas poucos são capazes de repetir e com tamanha propriedade. O ano é 2009, mas a velha máxima continua valendo: é só rock 'n roll, mas quando é bom mesmo a gente elogia.

Como o AC/DC costuma vir ao Brasil uma vez a cada década, resta conferir se os integrantes conseguirão manter o mesmo pique quando estiverem se aproximando dos 70 anos de idade.


Repertório completo do show:
1. "Rock'n roll train" - de "Black ice" (2008)
2. "Hell ain't a bad place to be"- de "Let there be rock" (1977)
3. "Back in black" - de "Back in black" (1980)
4. "Big Jack" - de "Black ice" (2008)
5. "Dirty deeds done dirt cheap" - de "Dirty deeds done dirt cheap" (1976)
6. "Shot down in flames" - de "Highway to hell" (1979)
7. "Thunderstruck" - de "The razor's edge" (1990)
8. "Black ice" - de "Black ice" (2008)
9. "The Jack" - de "T.N.T." (1975)
10. "Hells bells" - de "Back in black" (1980)
11. "Shoot to thrill" - de "Back in black" (1980)
12. "War machine" - de "Black ice" (2008)
13. "Dog eat dog" - de "Let there be rock" (1977)
14. "You shook me all night long" - de "Back in black" (1980)
15. "T.N.T." - de "T.N.T." (1975)
16. "Whole lotta Rosie" - de "Let there be rock" (1977)
17. "Let there be rock" - de "Let there be rock" (1977)
18. "Highway to hell" - de "Highway to hell" (1979)
19. "For those about to rock (We salute you)" - de "For those about to rock" (1981)

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

The Super Mario's game over

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Os 70 anos (70!?) da rainha do rock

Para muitos, a chegada da idade significa tirar o pé do acelerador e diminuir o ritmo do cotidiano. Celebrando 70 anos de idade neste 26 de novembro, Anna Mae Bullock, ou melhor, Tina Turner, continua na ativa e comemora seu aniversário com uma longa carreira após terminar uma expressiva turnê pela Europa.

Com um timbre de voz inconfundível e uma forma única de trabalhar as variações nos graves e agudos, a cantora cravou uma das carreiras de maior sucesso tanto no pop quanto no rock. Ao todo, desde o lançamento de Tina Turns The Country On (1963), são mais de 200 milhões de discos vendidos e hits que dominaram a parada americana como River Deep, Proud Mary, What's Love Got To Do With It, What You See is What You Get, Steamy Windows e We Don't Need Another Hero. São 27 faixas que estiveram entre as 10 melhores da Billboard, o ranking de músicas mais escutadas nos Estados Unidos.

Além de cantora, Tina também teve seu rosto marcado por interpretar alguns papéis memoráveis no cinema. Em 1975, viveu a Acid Queen na ópera-rock Tommy, composta pela banda britânica The Who. A americana também viveu Aunty Entity no terceiro filme da série Mad Max, em 1985, ao lado do australiano Mel Gibson.

No Brasil, a voz da cantora emplacou com as trilhas sonoras de novelas globais dos anos 80 e 90. Tina emprestou canções como Better Be Good To Me (Cambalacho - 1986), Two People (O Outro - 1987), Paradise is Here (Sassaricando - 1987), I Don't Wanna Lose You (Top Model - 1989), Love Thing (Sex Appeal - 1993), entre outras.

Em vez de frear suas atividades, Tina seguiu lançando discos e fazendo turnês. Seus sucessos continuaram entrando nas paradas com seus arranjos ou com remixes de DJs ou artistas mais novos.

Em outubro de 2008, Tina Turner deu o pontapé em uma turnê celebrando seus 50 anos de carreira em Kansas, nos Estados Unidos, e passando por mais de 25 cidades. Não satisfeita, em 14 de janeiro de 2009 a cantora embarcou para a Europa para shows na Alemanha, Bélgica, Áustria, Suíça, Inglaterra, França, Holanda, Irlanda, Noruéga, Suécia, Finlândia e República Tcheca. Nesta etapa, foram cerca de 50 shows feitos, em sua maioria com ingressos esgotados antecipadamente.

Dessa forma, só nos resta desejar felicidades mil, com mais trabalhos musicais e muitas e muitas turnês. Vida longa à eterna rainha do rock!

Tina Turner - Tina!, Her Greatest Hits (2008)

01. Steamy Windows
02. River Deep Mountain High
03. Better Be Good To Me
04. The Acid Queen
05. What You Get Is What You See
06. What's Love Got To Do With It
07. Private Dancer
08. We Don't Need Another Hero (Thunderdome)
09. I Don't Wanna Fight
10. GoldenEye
11. Let's Stay Together (live)
12. I Can't Stand The Rain (live)
13. Addicted To Love (live)
14. The Best (live)
15. Proud Mary
16. Nutbush City Limits
17. It Would Be A Crime
18. I'm Ready

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

A cronologia de um assassinato