quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Springfield em festa: os 20 anos dos Simpsons

Quem nunca assistiu ao seriado pelo menos já ouviu falar alguma coisa a respeito: polêmico, sarcástico, cruel. Não importa. Os Simpsons, de Matt Groening, é o desenho animado de maior longevidade em horário nobre da TV nos Estados Unidos, um sucesso absoluto. É exibido atualmente em mais de 100 países, está em sua 20ª temporada e já conta com 400 episódios desde sua estréia em 17 de dezembro de 1989. Sua primeira aparição foi em 1987, como uma vinheta de 30 segundos para o programa de TV “The Tracey Ullman Show”. Algumas pessoas do programa foram aproveitadas posteriormente no elenco de dublagem da série, como Julie Kavner (voz de Marge) e Dan Castellaneta (voz de Homer). A reação dos espectadores foi tão boa que logo os curtas viraram o especial “O Prêmio de Natal”, com duração de meia hora, ganhando, em 14 de janeiro de 1990, uma série regular.

Elogiada pela crítica e odiada por quem é satirizada por ela, os Simpsons, visto atualmente por cerca de 10 milhões de espectadores aos domingos nos Estados Unidos, já ganhou inúmeros prêmios, como 1 Peabody, 17 Emmy, 12 Annie, 3 Genesis, 7 International Monitor e 4 Environmental Media. Depois de um ano de exibição, conquistou ainda uma estrela na Calçada da Fama, em Hollywood.

A característica principal dos Simpsons é sua crítica ácida à sociedade, principalmente à classe média norte-americana, autoridades, culturas e celebridades polêmicas. Várias delas até fizeram participações especiais na série como Danny DeVito, Sting, Joe Mantegna, Kiefer Sutherland, Natalie Portman, Alec Baldwin, Pierce Brosnan, Mel Gibson, Britney Spears e até The White Stripes, Metallica e Aerosmith. Homer, o patriarca da família, já foi guarda-costas de Whitney Houston, personificou Darth Vader, de Star Wars, e contracenou com grandes estrelas como Paul McCartney, Elizabeth Taylor, Ramones e o astronauta Neil Armstrong. Tudo é passível de sátira, basta chamar a atenção na mídia, e inocente é uma palavra que definitivamente não consta em seu dicionário. Até mesmo o canal de TV a cabo Fox, seu principal exibidor, é motivo de suas piadas.

O Brasil também não escapou de ser um de seus alvos. Em 2002, o episódio “Blame it on Lisa”, a aventura dos Simpsons no Brasil, retratou os problemas de nosso país, como a violência: Homer é seqüestrado e Lisa atacada por marginais. Matt Groening também não deixou por menos a ignorância do mundo sobre o nosso país, ao mostrar a Amazônia ao lado do Rio de Janeiro, Bart aprendendo espanhol para vir para cá e macacos e ratos espalhados pelas ruas da capital fluminense. Apesar de não ter feito nada diferente do que costuma fazer com os países que retrata em seus episódios, o então presidente Fernando Henrique Cardoso exigiu desculpas da Fox e a Embratur entrou com uma ação judicial contra seus produtores.

Como não poderia deixar de ser, ao atirar para todo lado, os Simpsons também atraiu para si várias especulações. Uma delas, por exemplo, foi a de qual seria o personagem homossexual do desenho: se o assistente do senhor Burns, Waylon Smithers, ou uma das cunhadas de Homer. Até que, finalmente, no episódio “There's Something About Marrying”, Homer torna-se um pastor que realiza casamentos do mesmo sexo pela internet por US$200 e sua cunhada Patty explica como se apaixonou pela jogadora de golfe Veronica. Quando tudo, enfim, parecia ter sido revelado e mesmo sendo conhecido por não perdoar temas polêmicos, os Simpsons não conseguiu mudar o que todo mundo já sabe: que os EUA são “avassaladoramente anti-casamentos gays”, conforme definiu o presidente do Conselho dos Pais para a televisão dos Estados Unidos, L. Brent Bozell. Fato é que, no final da história, Veronica é desmascarada no altar, sendo, na verdade, um homem.

Talvez este seja um dos motivos por que a série tenha sido bastante criticada em suas primeiras temporadas, em especial por movimentos conservadores. Na China, por exemplo, apesar de ser um dos desenhos mais populares do país, a exibição foi proibida em horário nobre (das 17h às 20h) para que as crianças não fossem influenciadas pela cultura estrangeira e para não prejudicar a produção local, baseada em temas tradicionais.

A influência dos Simpsons vai muito além dos limites da telinha. Isso é refletido em pesquisas que vira e mexe trazem alguns personagens superando nomes consagrados do mundo real. Em 2004, por exemplo, uma pesquisa organizada pela Mother's Union (algo como Associação de Mães), instituição não-governamental que se dedica a promover o casamento e a vida familiar, elegeu Marge Simpson o principal modelo de mãe na Grã-Bretanha. A personagem ficou à frente da apresentadora de TV Lorraine Kelley, de Cherie Blair, mulher do então primeiro-ministro Tony Blair, e da Spice Girl Victoria Beckham.

Outro também que não se saiu nada mal foi Homer Simpson, em enquete realizada pela Radio Times, da BBC, sobre os favoritos do público da Grã-Bretanha para a presidência dos Estados Unidos, na época da reeleição de George W. Bush. Tendo como candidatos apenas personagens da televisão americana, Homer ficou em primeiro lugar, desbancando o personagem Josiah Bartlet (presidente interpretado por Martin Sheen na série The West Wing), Frasier Crane (Frasier), sargento Bilko (The Phil Silvers Show), Gil Grissom (C.S.I.), Jack Bauer (24 Horas), dr. Cliff Huxtable (The Cosby Show), Phoebe (Friends) e Tony Soprano (Os Sopranos).

Além das participações do ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair e do ex-presidente americano Bill Clinton, os produtores dos Simpsons já convidaram os últimos 10 presidentes dos Estados Unidos para participarem da série. “A única carta simpática que recebemos foi da secretária do presidente Ronald Reagan, mas todos os outros disseram 'vocês estão loucos'“, disse o produtor Al Jean.

Para batizar o nome dos principais personagens da família Simpson, o cartunista da série, Matt Groening inspirou-se na própria família. Homer ganhou o nome de seu pai e Marge de sua mãe, Margaret. As filhas do casal animado ganharam os nomes de suas irmãs mais novas, Lisa e Maggie. Para fugir do óbvio, colocou o nome do menino travesso de Bart, um anagrama de Brat que, em inglês, significa pirralho. Como se recusou a sugerir o nome do pai de Homer, os escritores acabaram escolhendo Abraham, que coincidentemente era o nome de seu avô. E, para não fugir do clichê que o criador é influenciado por suas criações, o cartunista deu o nome de Homer e Abe (avô Simpson) a seus dois filhos. Outros personagens como Flanders, Lovejoy, Powell, Quimby e Terwilliger aparentemente parecem ter sido tirados das ruas de Portland. O nome da cidade, Springfield, também foi cuidadosamente escolhido, uma vez todo Estado americano tem uma cidade com esse nome.


Diante de tanto sucesso, confira algumas curiosidades sobre o seriado:

1 - Cada capítulo demora cerca de 6 meses para ser produzido;

2 - Além da família Simpsons, o seriado conta com mais de 300 personagens paralelos;

3 - A primeira palavra que Lisa aprendeu a falar foi “Bart”. Já Bart, quando falou pela primeira vez, disse “Ay Caramba!”

4 - Existem 121 cidades nos Estados Unidos chamadas Springfield;

5 - O nome completo de Bart é Bartholomew Jay Simpson;

6 - O nome do meio de Millhouse é Mussolini;

7 - Na abertura de cada episódio, quando Maggie passa pela caixa registradora, aparece o valor de $847,63. Esse era o valor anual médio gasto para se criar uma criança nos Estados Unidos em 1989;

8 - O número de telefone do Bar do Moe é 7648-4377. Ao digitar esses números no telefone, temos a palavra SMITHERS;

9 - Lisa Simpson é o personagem mais popular da série no Japão;

10 - O barulho da chupeta de Maggie foi gravado pelo próprio criador do desenho, Matt Groening;

11 - Em um episódio Homer, cria um website usando o nome de Mr. X para revelar os podres da população de Springfield. O endereço do site é
http://www.mrxwebpage.com/;

12 - Homer já teve 46 profissões;

13 - 31 personagens já morreram nos Simpsons;

14 - A morte mais espetacular foi de Maude Flanders, que despencou da arquibancada de um estádio na 11ª temporada. Ela morreu porque a atriz Maggie Roswell, que fazia a voz da personagem, queria mais dinheiro para continuar a dublagem. Maggie foi para o olho da rua (e a personagem, pro céu);

15 - Marge Simpsom saiu na capa da Playboy americana em 2009 para comemorar os 20 anos da série;

16 - Em 2008, foi lançado o primeiro longa dos Simpsons;

17 - De acordo com David Silverman, os personagens são amarelos porque Gyorgi Peluci, o colorizador da série, tinha um problema: Bart, Lisa e Maggie não possuiam uma linha que separasse o cabelo da testa, e se a cor da pele fosse mais realista, ia ficar parecendo que a testa deles tinha sido serrada;

18 - Os Simpsons são vistos semanalmente por aproximadamente 40 milhões de pessoas;

19 - Num dos episódios, Marge pintou um retrato do Sr. Burns totalmente nu;

20 - Em sua edição de 31 de dezembro de 1999, a revista “Time” escolheu Os Simpsons como a melhor série de TV do século 20.

Um comentário:

  1. Adorei !! Essas curiosidades estão de mais xDD

    ResponderExcluir